Subscrever RSS
SEJA BEM-VINDO À PÁGINA OFICIAL DA PRESIDENCIA DO GOVERNO REGIONAL DA MADEIRA
Presidência Directa PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL
PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL
Presidência do Governo
Presidente do Governo
Quinta Vigia
PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL
PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL
Regresso à Página Inicial Contactos da Presidência do Governo Regional Mapa do Sítio da Presidência do Governo Regional Subscrever as nossas RSS Regresso à Página Inicial
 
Agenda do Presidente
Não Existe Agenda Definida. . .
Recursos Humanos - Gabinete da Presidência do Governo Regional da Madeira
RECURSOS HUMANOS - PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL DA MADEIRA
PRESIDENTE DA COMISSÃO EUROPEIA - DR. DURÃO BARROSO
Visita Oficial à Madeira do PRESIDENTE DA COMISSÃO EUROPEIA - DR. DURÃO BARROSO
Eventos Realizados do Presidente
   
ACONTECEU A 13.09.2010 ÀS 13:00 SESSÃO Oficial de Abertura do Ano Universitário em Portugal.
O Presidente do Governo Regional da Madeira esteve presente no dia 13 de Setembro, às 11 horas, no Colégio dos Jesuítas, na cerimónia de abertura do ano lectivo das Universidades Portuguesas, cerimónia a nível nacional e que  será presidida pelo Primeiro Ministro.Na ocasião, estiveram presentes, para além do Ministro da Ciência e Tecnologia, a maior parte dos Reitores das Universidades portuguesas.De salientar, que o Presidente do Governo Regional da Madeira ofereceu na Quinta Vigia, um almoço oficial, com a presença destas Entidades.
   
ACONTECEU A 13.09.2010 ÀS 12:00 SESSÃO Oficial de Abertura do Ano Universitário em Portugal.
O Presidente do Governo Regional da Madeira esteve presente no dia 13 de Setembro, às 11 horas, no Colégio dos Jesuítas, na cerimónia de abertura do ano lectivo das Universidades Portuguesas, cerimónia a nível nacional e que  será presidida pelo Primeiro Ministro.Na ocasião, estiveram presentes, para além do Ministro da Ciência e Tecnologia, a maior parte dos Reitores das Universidades portuguesas.De salientar, que o Presidente do Governo Regional da Madeira ofereceu na Quinta Vigia, um almoço oficial, com a presença destas Entidades.
   
ACONTECEU A 13.09.2010 ÀS 12:00 SESSÃO Oficial de Abertura do Ano Universitário em Portugal.
O Presidente do Governo Regional da Madeira esteve presente no dia 13 de Setembro, às 11 horas, no Colégio dos Jesuítas, na cerimónia de abertura do ano lectivo das Universidades Portuguesas, cerimónia a nível nacional e que  será presidida pelo Primeiro Ministro.Na ocasião, estiveram presentes, para além do Ministro da Ciência e Tecnologia, a maior parte dos Reitores das Universidades portuguesas.De salientar, que o Presidente do Governo Regional da Madeira ofereceu na Quinta Vigia, um almoço oficial, com a presença destas Entidades.
   
ACONTECEU A 13.09.2010 ÀS 11:30 SESSÃO Oficial de Abertura do Ano Universitário em Portugal.
O Presidente do Governo Regional da Madeira esteve presente no dia 13 de Setembro, às 11 horas, no Colégio dos Jesuítas, na cerimónia de abertura do ano lectivo das Universidades Portuguesas, cerimónia a nível nacional e que  será presidida pelo Primeiro Ministro.
Na ocasião, estiveram presentes, para além do Ministro da Ciência e Tecnologia, a maior parte dos Reitores das Universidades portuguesas.De salientar, que o Presidente do Governo Regional da Madeira ofereceu na Quinta Vigia, um almoço oficial, com a presença destas Entidades.
   
ACONTECEU A 13.09.2010 ÀS 11:00 SESSÃO Oficial de Abertura do Ano Universitário em Portugal.
O Presidente do Governo Regional da Madeira esteve presente no dia 13 de Setembro, às 11 horas, no Colégio dos Jesuítas, na cerimónia de abertura do ano lectivo das Universidades Portuguesas, cerimónia a nível nacional e que  será presidida pelo Primeiro Ministro.

Na ocasião, estiveram presentes, para além do Ministro da Ciência e Tecnologia, a maior parte dos Reitores das Universidades portuguesas.

De salientar, que o Presidente do Governo Regional da Madeira ofereceu na Quinta Vigia, um almoço oficial, com a presença destas Entidades.
   
ACONTECEU A 11.09.2010 ÀS 11:00 SESSÃO de Abertura do Congresso Fundador da UGT Madeira
O Presidente do Governo Regional da Madeira esteve presente no dia 11 de Setembro, às 11:00 horas, no Hotel Vila Porto Mare, no Funchal, para uma intervenção, como convidado, no Congresso Fundador da UGT-Madeira.Presente neste Congresso o Secretário Geral da UGT, Engº João Proença.
   
ACONTECEU A 10.09.2010 ÀS 19:30 JANTAR de Celebração do 25.º Aniversário da Associação de Muncípios da RAM.
O Presidente do Governo, no dia 10 de Setembro, às 19.30 horas, participou nas celebrações do 25º Aniversário da Associação de Municípios da Região Autónoma da Madeira, que decorreram, no Restaurante Panorâmico do Pestana Casino Park Hotel, na cidade do Funchal.
   
ACONTECEU A 08.09.2010 ÀS 10:30 SESSÃO Solene do Dia do Concelho do Ponta do Sol.
O Presidente do Governo Regional da Madeira esteve presente no dia 8 de Setembro às 10.30 horas, na sessão solene, na Cãmara Municipal da Ponta do Sol, comemorativa do Dia da Ponta do Sol.
   
ACONTECEU A 05.09.2010 ÀS 16:30 CERIMÓNIA da Festa da Uva e do Agricultor, no Porto da Cruz.
No dia 5 de Setembro de 2010, o Presidente do Governo Regional da Madeira deslocou-se à Freguesia do Porto da Cruz, no Concelho de Machico.

O Presidente do Governo Regional da Madeira participou como convidado na Festa da Uva e do Agricultor, desfilando num cortejo Etnográfico às 16:00 horas, no centro da Freguesia e proferindo uma alocução à população pelas 16.30 horas
   
ACONTECEU A 03.09.2010 ÀS 15:00 AUDIÊNCIA com Directora Regional do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras
O Presidente do Governo Regional da Madeira recebeu sexta-feira dia 3 de Setembro, às 15:00 horas, em audiência na Quinta Vigia, a Directora Regional do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras.

 

 
< Voltar Atrás | |Imprimir|
 
  Alberto João Jardim disse ontem na inauguração do Centro Comunitário do Estreito  
   
  Região sofre os piores ataques pós 25 de Abril.

 
   
  O presidente do Governo Regional disse ontem que a Madeira vive, actualmente, «uma das épocas mais difíceis depois do 25 de Abril» devido aos ataques de que está a ser vítima, mas acrescentou que a Região tem de reagir com alegria. Uma coisa garantiu: continuará a apresentar obra.
A declaração foi feita na inauguração do Centro Comunitário e Social do Estreito.
 
 
     
O presidente do Governo Regional disse ontem que a Madeira vive, actualmente, «uma das épocas mais difíceis depois do 25 de Abril» devido aos ataques de que está a ser vítima, mas acrescentou que a Região tem de reagir com alegria. Uma coisa garantiu: continuará a apresentar obra.
A declaração foi feita na inauguração do Centro Comunitário e Social do Estreito.
 
O presidente do Governo Regional disse ontem que a Madeira vive, actualmente, «uma das épocas mais difíceis depois do 25 de Abril» devido aos ataques de que está a ser vítima, mas acrescentou que a Região tem de reagir com alegria. Uma coisa garantiu: continuará a apresentar obra.


Segundo Alberto João Jardim, «nunca a Madeira, depois do 25 de Abril, foi vítima, foi objecto de tanta canalhice, como a que nos andam a fazer».

Mas, como disse, a Região tem de reagir. «Não podemos ficar parados. Temos de reagir com força e alegria e quando eles pensavam que nos iam parar, cá estamos, quase todos os dias, a fazer inaugurações. E vamos continuar a mostrar trabalho, mesmo que eles não gostem», garantiu.
O presidente do Governo acrescentou que, mesmo assim, a Região, até agora, «tem conseguido defender-se de situações como as que vemos na televisão, de fábricas a fechar e desempregos a subir».

Para demonstrar o estado em que se encontra o País, Alberto João Jardim lembrou a visita feita recentemente pelo Presidente da República a regiões do Vale do Ave, onde apontou as dificuldades daquelas «zonas deprimidas».

Outro dos exemplos que deu foi o do relatório do Fundo Monetário Internacional (FMI), que considera que as dificuldades que Portugal está a atravessar são de ordem interna.

Alberto João Jardim lembrou também que o primeiro-ministro foi a Angola abrir linhas de crédito para aquele país. «O primeiro-ministro de um país teso como Portugal, vai a Angola abrir linhas de crédito. A Madeira precisa de crédito, que é a Madeira que paga e o senhor primeiro-ministro proibiu a Madeira de recorrer ao crédito, sem até, no meu entender, ter legitimidade constitucional para o fazer».

Por tudo isto, Jardim disse não aceitar que o primeiro-ministro venha com desculpas de que o estado do País é por culpa do petróleo.

«É por razões do governo português que Portugal está a atravessar os problemas que tem, mas se eles gostam de andar assim eu não tenho nada com isso. O que eu peço é que não criem problemas aos outros; é que não criem problemas ao povo madeirense; é que não se vinguem do povo madeirense por razões meramente partidárias».

Considerando que «o mal fica com quem o pratica», o presidente do Governo manifestou a convicção de que «hão-de vir dias melhores para Portugal; há-de vir gente competente e de bom carácter e, portanto, vamos continuar com a nossa força e alegria».

Quanto ao Centro Comunitário, Alberto João Jardim lembrou que será um local onde os da «idade da sabedoria» poderão conviver com os mais jovens, onde poderão ter actividades culturais e físicas que os ajudem a não ficar tão isolados em casa. «Principalmente na idade da sabedoria, as pessoas não devem estar isoladas. As pessoas têm de conviver mais, para não se sentirem definhar», disse.

O presidente lembrou que o Estreito, hoje, «é uma freguesia muito importante», até porque, embora não seja sede de concelho, é uma das maiores freguesias da Madeira. «Só a freguesia do Estreito tem mais população do que alguns concelhos da Madeira e por isso é importante que as pessoas convivam, até para discutir os problemas da sua comunidade e para reforçar a identidade da sua comunidade».

O presidente da Câmara Municipal de Câmara de Lobos, por seu turno, congratulou-se com o facto de notar que a população do Estreito, actualmente, tem orgulho em ser de onde é.

Para Arlindo Gomes, a obra de que mais se orgulha é a de ter conseguido que a população menos jovem e os jovens tenham conseguido juntar-se, tenham criado uma auto-estima e criado uma inter-acção que permite a transmissão de valores e conhecimentos. «Hoje, este espaço, é o reforço desse nosso trabalho», concluiu.

A Obra

O Centro Comunitário do Estreito está instalado no piso superior do Mercado Municipal do Estreito. É uma obra da responsabilidade da Câmara Municipal de Câmara de Lobos e representa um investimento de 245 mil euros.

O Centro é composto por sala polivalente, auditório, cozinha e arrumos, sanitários e balneários, sala de informática, sala de estar e recepção.

O novo espaço está vocacionado para a formação e informação da população sénior da freguesia do Estreito, bem como para crianças e jovens.

Ginástica, actividade física e educação para a saúde, cursos de formação social, pessoal e familiar, atelier de leitura e espaço net são algumas das actividades que o Centro oferece.

 
Fonte: Jornal da Madeira Edição On-Line de 19-07-2008
 
     
 

 

Fotos do Evento
 
Clique nas fotos para Ampliar
 
O presidente do Governo Regional disse ontem que a Madeira vive, actualmente, «uma das épocas mais difíceis depois do 25 de Abril» devido aos ataques de que está a ser vítima, mas acrescentou que a Região tem de reagir com alegria. Uma coisa garantiu: continuará a apresentar obra.
O presidente do Governo Regional disse ontem que a Madeira vive, actualmente, «uma das épocas mais difíceis depois do 25 de Abril» devido aos ataques de que está a ser vítima, mas acrescentou que a Região tem de reagir com alegria. Uma coisa garantiu: continuará a apresentar obra.
O presidente do Governo Regional disse ontem que a Madeira vive, actualmente, «uma das épocas mais difíceis depois do 25 de Abril» devido aos ataques de que está a ser vítima, mas acrescentou que a Região tem de reagir com alegria. Uma coisa garantiu: continuará a apresentar obra.
O presidente do Governo Regional disse ontem que a Madeira vive, actualmente, «uma das épocas mais difíceis depois do 25 de Abril» devido aos ataques de que está a ser vítima, mas acrescentou que a Região tem de reagir com alegria. Uma coisa garantiu: continuará a apresentar obra.
O presidente do Governo Regional disse ontem que a Madeira vive, actualmente, «uma das épocas mais difíceis depois do 25 de Abril» devido aos ataques de que está a ser vítima, mas acrescentou que a Região tem de reagir com alegria. Uma coisa garantiu: continuará a apresentar obra.
O presidente do Governo Regional disse ontem que a Madeira vive, actualmente, «uma das épocas mais difíceis depois do 25 de Abril» devido aos ataques de que está a ser vítima, mas acrescentou que a Região tem de reagir com alegria. Uma coisa garantiu: continuará a apresentar obra.
O presidente do Governo Regional disse ontem que a Madeira vive, actualmente, «uma das épocas mais difíceis depois do 25 de Abril» devido aos ataques de que está a ser vítima, mas acrescentou que a Região tem de reagir com alegria. Uma coisa garantiu: continuará a apresentar obra.
O presidente do Governo Regional disse ontem que a Madeira vive, actualmente, «uma das épocas mais difíceis depois do 25 de Abril» devido aos ataques de que está a ser vítima, mas acrescentou que a Região tem de reagir com alegria. Uma coisa garantiu: continuará a apresentar obra.
O presidente do Governo Regional disse ontem que a Madeira vive, actualmente, «uma das épocas mais difíceis depois do 25 de Abril» devido aos ataques de que está a ser vítima, mas acrescentou que a Região tem de reagir com alegria. Uma coisa garantiu: continuará a apresentar obra.
O presidente do Governo Regional disse ontem que a Madeira vive, actualmente, «uma das épocas mais difíceis depois do 25 de Abril» devido aos ataques de que está a ser vítima, mas acrescentou que a Região tem de reagir com alegria. Uma coisa garantiu: continuará a apresentar obra.
O presidente do Governo Regional disse ontem que a Madeira vive, actualmente, «uma das épocas mais difíceis depois do 25 de Abril» devido aos ataques de que está a ser vítima, mas acrescentou que a Região tem de reagir com alegria. Uma coisa garantiu: continuará a apresentar obra.
O presidente do Governo Regional disse ontem que a Madeira vive, actualmente, «uma das épocas mais difíceis depois do 25 de Abril» devido aos ataques de que está a ser vítima, mas acrescentou que a Região tem de reagir com alegria. Uma coisa garantiu: continuará a apresentar obra.
O presidente do Governo Regional disse ontem que a Madeira vive, actualmente, «uma das épocas mais difíceis depois do 25 de Abril» devido aos ataques de que está a ser vítima, mas acrescentou que a Região tem de reagir com alegria. Uma coisa garantiu: continuará a apresentar obra.
O presidente do Governo Regional disse ontem que a Madeira vive, actualmente, «uma das épocas mais difíceis depois do 25 de Abril» devido aos ataques de que está a ser vítima, mas acrescentou que a Região tem de reagir com alegria. Uma coisa garantiu: continuará a apresentar obra.
O presidente do Governo Regional disse ontem que a Madeira vive, actualmente, «uma das épocas mais difíceis depois do 25 de Abril» devido aos ataques de que está a ser vítima, mas acrescentou que a Região tem de reagir com alegria. Uma coisa garantiu: continuará a apresentar obra.
O presidente do Governo Regional disse ontem que a Madeira vive, actualmente, «uma das épocas mais difíceis depois do 25 de Abril» devido aos ataques de que está a ser vítima, mas acrescentou que a Região tem de reagir com alegria. Uma coisa garantiu: continuará a apresentar obra.
O presidente do Governo Regional disse ontem que a Madeira vive, actualmente, «uma das épocas mais difíceis depois do 25 de Abril» devido aos ataques de que está a ser vítima, mas acrescentou que a Região tem de reagir com alegria. Uma coisa garantiu: continuará a apresentar obra.
O presidente do Governo Regional disse ontem que a Madeira vive, actualmente, «uma das épocas mais difíceis depois do 25 de Abril» devido aos ataques de que está a ser vítima, mas acrescentou que a Região tem de reagir com alegria. Uma coisa garantiu: continuará a apresentar obra.
O presidente do Governo Regional disse ontem que a Madeira vive, actualmente, «uma das épocas mais difíceis depois do 25 de Abril» devido aos ataques de que está a ser vítima, mas acrescentou que a Região tem de reagir com alegria. Uma coisa garantiu: continuará a apresentar obra.
O presidente do Governo Regional disse ontem que a Madeira vive, actualmente, «uma das épocas mais difíceis depois do 25 de Abril» devido aos ataques de que está a ser vítima, mas acrescentou que a Região tem de reagir com alegria. Uma coisa garantiu: continuará a apresentar obra.
 
Clique aqui para Fotoreportagem
 
   
     
 
   
 
     
   
 
< Voltar Atrás |  
 
 
Faça as suas Sugestões e Comentários Avisos Legais Mapa do Sítio Internet Contactos da Presidência do Governo Regional da Madeira